CRASS “Não há autoridade a não ser você mesmo” – Anarquia além do discurso punk-meia-sola

“E se é verdade, como pretende Nietzsche, que um filósofo, para ser confiável, deve pregar com o exemplo[…]”

… então, CRASS é um modelo de coerência entre discurso e ação. Não se trata de uma banda, mas de uma ideologia que se tornou maior do que sua música. Este post não trata de punks pregando o anarquismo, mas sim de anarquistas meramente punks.

Crass logo

Crass logo (Photo credit: Leo Reynolds)

Venho neste blog tentando traçar uma linha filosófica ao mesmo tempo em que a construo como meus próprios ideais. Até aqui me entendo como um cinico-anarcoindividualista-agnóstico. Sequer gosto de punk, nem enquanto cena musical, nem enquanto movimento, menos ainda me identifico e/ou acredito na juventude que assim se declara. Afinal, onde estão os Titãs dos 80’s? Por isso insisto em separar punk e anarquismo. Este ultimo surgiu muito antes, na Antiga Grécia, vestida de coerência na figura de Diógenes de Sinope.

Ainda sou um pássaro cativo em uma gaiola aberta. Sei que posso sair, mas ainda não devo. Segue então o documentário sobre pessoas que vivenciaram e vivenciam sua filosofia de vida. Me fez pensar que se eu fosse o messias retornado, não pregaria o AMOR incondicional ao próximo. É utopia. Não é da natureza humana. O primeiro mandamento deveria tratar de RESPEITO. O respeito é mais real, mais tangível e mais redentor que o amor. Sendo assim… fiquem com o vídeo, ou se preferir ter gravado (recomendado), pode também baixar o torrent.

Título original : There is no authority but yourself.
Duração : 64 minutos
Ano da produção : 2006
Direção,câmera e edição : Alexander Oey.
Legenda : Português

Anúncios